sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Feliz Dia de S. Valentim!

-ignorem os kokoros que fiz por aí, aheuaehauh- 

E então pessoas que estão lendo isso? Como foi o vosso dia? Bem... O meu dia foi um dia totalmente normal, porque tem pessoas do tipo - eu - que ficam forever alones até com amigas por perto, que dão flores para todo mundo menos para mim.
Mas enfim, o dia já não foi mau de todo porque eu comi um crepe de chocolate - apesar de estar todo mal feito, e com pouquíssimo chocolate - mas quem precisa de detalhes? É, ninguém e-e
Então.. Hoje a minha professora de Ciências contou-nos a história do dia de S. Valentim, e bem, confesso que eu não sabia. Achei interessante, por isso acho que vou contá-la para vocês e3e'



Então.. Há muitoos anos atrás, por volta do tempo da Era Romana, o imperador, querendo soldados mais fortes e destemidos, proibiu os casamentos naquela época.
Ora então, o Sr. Padre Valentim, contra essa nova lei, começou a realizar casamentos em segredo, a pedido de muitos soldados. Afinal, acreditava que o "poder do amor" era bem mais poderoso que o poder da guerra.
Cada casamento era um risco enorme, já que tinham de estar sempre atentos a qualquer guarda que pudesse aparecer. Certo dia, tal aconteceu. Um dos casamentos foi descoberto em flagrante. Os noivos conseguiram fugir, mas o Padre Valentim não teve escapatória.

Já na prisão, e à espera do dia da sua morte, o Padre Valentim recebia várias visitas inesperadas, como soldados que agradeciam os seus feitos, que diziam continuar acreditando no senhor e ainda uns que tinham esperanças de se poderem casar ainda com ele preso; tudo através de postais que enviavam pelas grades da pequena janelinha que havia na sua sela.
Houve também uma admiradora sua que o visitava todos os dias, ela era cega, e alguns dizem até que o Sr. Valentim se apaixonou pela sua companhia diária. 

No dia da sua execução (14 de fevereiro), Valentim escreveu uma carta à sua amiga/amada, agradecendo tudo o que ela tinha feito por ele em tão poucos dias. Com uma vontade enorme de conseguir ler a carta, a admiradora saiu do estabelecimento prisional com a cegueira curada. Foi assim que ele se tornou um santo, e julga-se que com aquela carta escrita por ele, iniciou-se o costume de trocar cartas ou postais, no dia de S. Valentim.

~~
E bem, foi mais ou menos essa história que me contaram >w<
Espero que não tenha sido uma seca total, eu adaptei as cenas a mim e não à linguagem geral aehauehauheaue~
É claro que existem várias versões por aí, e caso saibam uma outra versão, também gostaria de a conhecer, já que eu tenho uma enorme curiosidade por lendas e histórias de culturas diferentes *-*

Sem comentários:

Enviar um comentário

A sua opinião é sempre importante! ^-^