terça-feira, 22 de agosto de 2017

Hey
Como vais? Como tens passado?
Estou aqui, mas gostaria de estar a teu lado.
Não sei o que tens feito, ou com quem tens falado,
Mas sei que o meu coração te tem no peito...
Sei que o meu coração te tem chamado.

Oh, diz-me que virás...
Diz-me que comigo estarás,
Não aguento esta solidão,
Não aguento esta saudade
Que tanto faz questão
De me lembrar de ti,
De lembrar a tua bondade

Escolhi acreditar
Porque pude, porque quis.
Espero não me estar a enganar,
De cabeça estou a mergulhar,
De olhos fechados e bem vendados,
Num mar profundo e só...

Só, só e somente só,
De mãos e pés atados
Dentro de água e sem poder nadar...
Será que me vou afogar,
Ou chegarás a tempo de me resgatar?

sábado, 19 de agosto de 2017

Amoras silvestres

Amoras silvestres
Escurinhas
Tão docinhas
À beira da estrada

Umas pequenas
Outras grandinhas
Umas vermelhas
Outras já madurinhas

Preto e vermelho no meio do verde
As folhas podem esconder, mas há espinhos até não mais poder
Cuidado com eles, pois ao contrário das rosas
As silvas são matreiras e silenciosas

Não só com os espinhos nos devemos preocupar
Existem plantas venenosas que te tentam enganar
São cópias, imitações
Que ao contrário de frutos bons e deliciosos
Levam para o hospital insensatos e gulosos

À beira da estrada estão silvas
Cheias de espinhos protetores
Protegem o que têm de mais importante
Os seus maiores tesouros
Frutos da sua vida brilhante

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Esqueci-me de avisar

Hellu ma buds~
O post de hoje foi extenso, sem imagens, certas palavras sem acentos. Porquê? Acontece que atualmente não me situo em casa e por isso não tenho nenhum computador. A única ferramenta que tenho disponível é o telemóvel, que aqui na aldeia nem rede tem, tenho de ir ali apanhar um bocadinho da espanhola. Nsbsknajs yea
Fiz uma espanhola dizer num restaurante: "VIVA A PÁTRIA PORTUGAL", venci na vida.
Era só para vos avisar, até mais \o/

Interrogo-me

Quando era criança tinha muitas perguntas
Umas mais pertinentes
E outras inconvenientes
Tudo era válido para participar na corrida da descoberta

Com o tempo foram surgindo respostas,
Algumas complexas e confusas
Ou então óbvias e simples
E assim ia correndo, e assim ia descobrindo

Se em criança julgava que as questões idiminuiriam com a idade,
Enganava-me seriamente
Já que hoje questiono-me ainda mais
Por cada resposta recebida, ofereço duas perguntas

A meta é longínqua
Talvez inalcançável
No entanto, eu corro e tu corres
Toda a gente entra nesta corrida

Diariamente descobrimos factos adicionais
Suspeitas que se vão montando e sintetizando conclusões
Interligando todos os conhecimentos
Formulando o nosso ser e a nossa mente

Todos os dias avançamos no percurso, não o podemos negar

Mesmo assim, provavelmente será ímpossível terminá-la

Muitos se dão como perdidos no caminho
Mas o que eles não sabem, é que não estão tão perdidos,

Pois o rumo certo não está devidamente definido

E desta forma continuamos a correr
Involuntariamente alcançamos o saber

Noticiário

Heyoo! Eu disse que dava notícias. Sendo assim vamos a isso! (um noticiário! Nnnnnnnn)
Não sei se alguém já reparou mas mudei um pouquinho o aspeto do blog~ O que acharam? Ainda não terminei mas aos poucos hei-de chegar lá. É um free layout, supostamente temporario (mas como eu sou muito preguiçosa... Oh bem, veremos). Os creditos estao no canto inferior esquerdo do layout, a mocinha tem muitos outros disponiveis, e lindos!
Retornando ao assunto principal: notícias a meu respeito.
Honestamente não tenho ideia do que vos informar. Passou-se mais um ano na minha vida, aconteceram bastantes coisas, porém, ao mesmo tempo sinto como se não tivesse acontecido nada. Sempre fui assim... É normal ou sou eu que sou estranha?

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Está aí alguém?

Olá. Se houver alguém a ler isto, wow, muito obrigada. Passou-se literalmente quase 1 ano desde que vim aqui. Sinceramente, não tinha grandes intenções de voltar. Ocorreu-me a ideia de apagar o blog para não ser apenas mais um inativo só a ocupar espaço na internet. Ou simplesmente abandonar e pronto.

sábado, 10 de setembro de 2016

Eu ainda não perdi

Voar e deixar de sentir os pés no chão
Ouvir respirar e o bater do coração
O céu era o limite mas aqui tens um convite
Não há tempo para conversas, o universo é infinito

E então, para onde ir? Onde ficar?
O que fazer? O que pensar?
O que realmente importa?
Se tudo era nada e do nada se fez tudo