terça-feira, 12 de maio de 2015

Incompetencialidade

- este post não tem praticamente nada de positivo, se está procurando motivação, veio ao sítio errado. São só desabafos deprimentes de uma medrosa, que são capazes de deitar alguém a baixo, ou não, sei lá, faça como quiser -


Sabes o que é, quereres ajudar alguém, e saberes que não é de ti que a pessoa quer ajuda? Veres a pessoa a sofrer, estenderes a mão e ela recusar-ta? Quereres abraçar, e saber que não é um abraço teu que ela quer? E depois, depois há o medo. Vergonha. Saber que não tens nada a ver com isso, e que a pessoa pode pensar que te estás a meter na vida dela, onde não és chamada. Deixa-te estar quieta, os amigos dela vão ajudá-la... Mas quando?



Porque é que eu também não a posso ajudar? Porque não posso fazer a diferença? Não suporto ver alguém assim. Quero ajudar. E se fosse comigo? Era bem possível. Alguém me viria ajudar? Eu iria recusar ajudas? Era capaz de fugir, dizer que não é nada. Mas alguém se preocupa de verdade? Alguém insiste? Alguém pensa nisso de verdade? Como eu?
Eu sinto-me mal quando não sou capaz de fazer nada. Nada. Eu odeio-me por isso, saber que podia agir, e não faço nada. Porque o assunto não é comigo, certo? A pessoa nem sabe que existo. A pessoa não vai ligar. Sei que não devia me importar com isso, sei que não devia pensar assim. Porque comigo, eu queria que não fosse do jeito que eu penso. Eu queria que alguém viesse, mas eu não vou. O que me garante que pensem do mesmo jeito que eu, que também se importam? E o que eu diria? O que eu deveria dizer? Eu não sei como ajudar. Eu não consigo ajudar. Posso tentar, mas não vai resultar. Eu tentei. Eu recuei. Quantas vezes são precisas para parar de errar? Não se comete o mesmo erro duas vezes. Ou talvez não seja assim tão fácil, e você vai errando e errando infinitamente. Há erros que nunca deviam acabar. Erros certos, e atitudes certas feitas de forma errada. Não vou fazer nada demais. Não vai fazer diferença. Não vão ser as palavras que a pessoa quer ouvir. Não vão ser as palavras certas, nem a pessoa certa. Vai ser tudo - tudo - errado.
E enquanto isso, eu partilho a dor com a pessoa. Mesmo sem ela saber. Porque apesar de saber o que aconteceu, não sou capaz de fazer nada. Sou uma inútil, e me sinto mal por isso.

2 comentários :

  1. Adorei o teu post *-*
    E não és nenhuma inútil
    Gosto muito de ler os teus post's =)
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awn.... O-Obrigado ><
      A opinião de quem lê também é importante para mim çuç Acho que é importante para todos mesmo... >w<
      Obrigado por vir perder um pouco do seu tempo a ler o meu post e volte sempre! Bjins >o<

      Eliminar

A sua opinião é sempre importante! ^-^