/*cookies*/ /*em personalizar-avançadas-css tem mais partes. Bolachas/

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Como me tornar alguém que admiro?

É irónico ter pensado em escrever uma postagem com este título no dia 24/07. É irónico termos conversado sobre como estávamos quase a fazer 1 ano de relacionamento uma semana atrás. É irónico. É irónico,  depois de tudo o que fiz,  eu ainda tenho o descaramento de pensar que nunca irei encontrar ninguém como tu,  que me apoie da mesma maneira que o fizeste,  mesmo com as nossas divergências,  mesmo com os nossos defeitos. É irónico como eu negligenciei aquilo que tinhamos e agora que perdi é que percebi.  É irónico ser impossível de voltar atrás,  é irónico que mesmo que surgisse a oportunidade de voltarmos eu não aceitaria porque não seria capaz de esquecer as porcarias que fiz ou os sentimentos que senti. Mas,  talvez, se eu pudesse voltar no tempo e fazer diferente,  eu teria feito. Talvez não mudasse os acontecimentos recentes,  talvez mudasse a raíz deles. Talvez. 
É irónico num dia achar que iria ser contigo a minha vida toda,  e no outro ter tudo destruído. Por minha culpa.  É irónico como em tão pouco tempo tudo mudou. É irónico como em poucos dias a minha vida se virou  ao contrário.  É irónico como eu já não tenho tanta vontade  de viver.  É irónico como aquilo que me segura é ainda o fruto do meu pecado. Não foi um pecado tão mau,  porque foi um pecado que ainda assim me fez sorrir. Admitir isto é o que me deixa pior.  É irónico.  É irónico. É irónico.
É irónico como num dia penso em como me tornar alguém melhor,  do qual me orgulho, e no outro me transformei no tipo de pessoa que odeio. No tipo de pessoa que nunca pensei me tornar. Fiz tudo ao contrário.  Tudo. Tudo...
Talvez eu não devesse ter deixado esta postagem vazia,  só  com o seu título,  nos rascunhos. Talvez eu devesse ter escrito tudo naquele momento.  Talvez eu devesse  ter passado para palavras  escritas tudo o que pensei naquela hora. Talvez isso me tivesse feito reconhecer e perceber  aquilo que tinha de fazer. Talvez tivesse percebido o que era o certo e o errado. Talvez tivesse feito as coisas diferentes.
Mas não o fiz,  deixei esta postagem por escrever. O oposto  do que queria escrever aqui  aconteceu na vida real. Estou cada vez mais distante de ser alguém  que admiro e de ter orgulho em mim própria.
Talvez devesse ter escrito esta postagem no dia em que pensei nela... Talvez...  Mas não o fiz. E a realidade foi escrita ao contrário. Tenho de lidar com as consequências dos meus atos. A vida é mesmo irónica...

Sem comentários:

Enviar um comentário

A sua opinião é sempre importante! ^-^