/*cookies*/ /*em personalizar-avançadas-css tem mais partes. Bolachas/

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Motivação... Estou à tua procura

Ultimamente ando com uma certa vontade de "mudar", empenhar-me, trabalhar para alcançar determinados objetivos. Mas fico-me unicamente pela vontade, pelo querer. Ação...? Pouco, quase nada.
Decidi pesquisar na internet o que poderia fazer para melhorar e dedicar-me verdadeiramente, pôr mãos à obra. E faço-o várias vezes, repetitivamente, procurando informações novas, que me possam realmente ajudar. É sempre a tal lenga-lenga do costume... Já me canso de ler sempre o mesmo discurso barato e superficial. Chegou a um ponto que já nada parece resultar comigo. A única esperança que tenho é esta vontade, que permanece em mim, quieta e imóvel... Às vezes ganha o poder da invisibilidade por alguns dias e aparenta desaparecer. Ou sou eu que a escondo? Sou eu que não a consigo ver... Parece tão distante, mais distante que o horizonte naquela região onde o mais além é cego; numa paisagem de praia, onde um barco se desvanece no mar à medida que se afasta da costa.


Li uma vez que tendo a motivação necessária para realizar os nossos sonhos, então facilmente nos esforçavamos e trabalhavamos para esses fins, sem desistir, até alcançar o pretendido. Peço desculpa, cometi um erro: proferi o termo"facilmente". Esforço, trabalho, dedicação ou concretização de objetivos raramente são fáceis. Por isso, é necessário motivação suficiente para tal. Sonhos grandiosos e que parecem distantes exigem mais do que metas menos trabalhosas. E isso é o essencial. É preciso fazê-lo!
Apesar de sabê-lo, o que a maioria dos humanos faz é precisamente não fazer. Procrastinar. O ato de adiar, e adiar, e, mais uma vez, adiar... Um ciclo sem fim. É isso que tenho feito todo este tempo. O meu tempo esgota-se. Apesar de o tempo ser infinito, o nosso tempo é efémero, tal como a nossa vida.

Procurei então o que era "motivação". Talvez desta forma pudesse tirar as minhas próprias conclusões, em vez de ler pela milésima vez o mesmo género de palavras que já me pareciam insignificantes.
No sentido literal, a palavra "motivação" é constituída por "motivo" + "ação" (provém do latim: movere, mover). É a força interior que nos faz agir. Assim, motivação só existe se nos levar a agir. Só existe se a partir desse motivo se originar uma ação. www
Posto isto, invade-me um certo pensamento... Não tenho motivação. Porque apesar de querer e sonhar com isto e aquilo, poucas são as vezes em que começo a trabalhar, seriamente do princípio ao fim, até obter os meus objetivos. E, porquê? Desisto? A meu ver, na teoria não desisto totalmente, porque é algo que se mantém na minha mente e remói, remói, sem sair de lá, eu ainda quero que se realize, penso que não desisti disso porque é algo que não me é indiferente, tenho vontade. Mas na prática sim, desisto, porque já não me esforço como deveria.


Assumindo que não tenho motivação, então o que diabos tenho em mim? Não tendo motivação, será que os meus sonhos ainda se mantêm? São só sonhos irreais que não são possíveis? Não passam de miragens num conto de fadas oposto à realidade? São sonhos menos fortes do que os das pessoas que têm motivação autosuficiente para os tornar na sua realidade? São inválidos...? São, ao menos, sonhos?
Na escola, interpretamos poemas onde está expresso que "o sonho comanda a vida", que é o elemento que "faz o mundo avançar" (refiro-me neste caso ao poema Pedra Filosofal de António Gedeão, mas há muitos outros). Mas todos esses sonhos que fizeram com que o mundo avançasse, certamente tiveram a sua dose de motivação.
Se a minha motivação - caso exista um pingo dela - não é suficientemente forte... Então, de igual forma, os meus sonhos também não o devem ser. Porque é que tudo na vida tem de ser tão difícil? Se não tenho motivos suficientemente fortes para me agarrar a sonhos, então porque é que não me deixam em paz? Porque é que, ainda assim, não me são indiferentes? Porque é que não deixo de sonhar, se não vou ser capaz de pegar nesses sonhos e vivê-los?
Porque é que não me abandonam e param de me desiludir com as expetativas que nunca irão ser mais do que meras ilusões? Meras mentiras da minha cabeça. Parem de me dar esperanças de algo impossível, um milagre que não existe. Se existirem milagres, somos nós que os fazemos.
Porque é que simplesmente não os faço?



E se em vez de tentar desistir completamente de sonhar, de tentar romper um fio de esperança que me prende a um rumo da minha vida sem rumo, tentasse fazer algum milagre que parece impossível? E se buscasse alcançar o que me falta? Mesmo que não atinja o fim desejado. Se ficar parada, nunca vou saber o final da história fantasiosa (seja feliz ou não). Os arrependimentos podem ficar para depois... Por enquanto, posso fazer aquilo que menos faço, mas que ainda está ao meu alcance.

Agir.

2 comentários:

  1. EU NÃO ACREDITO QUE ESSA POSTAGEM ME DEFINIU TODA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OLÁ ITAMI
      estamos juntas nesse barco então asjndjkasdnk

      Eliminar

A sua opinião é sempre importante! ^-^